Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Moraes defende prisão para responsáveis por vazar mensagens de Moro

Moraes defende prisão para responsáveis por vazar mensagens de Moro
COMPARTILHE

“No atual momento temos que, primeiro, rapidamente apurar e prender os criminosos que invadiram comunicações de agentes públicos”, disse o ministro Moraes.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, defendeu, nesta segunda-feira (17), que os responsáveis por vazar supostas mensagens privadas do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sejam presos.

Moraes argumentou que a autenticidade das mensagens precisa ser verificada e que elas não afetam a “importância histórica” da Operação Lava Jato no combate à corrupção.

Em uma rápida declaração sobre o assunto, segundo o site UOL, Moraes afirmou:

“No atual momento temos que, primeiro, rapidamente apurar e prender os criminosos que invadiram comunicações de agentes públicos, colocando em risco a própria segurança dessas pessoas. Em um segundo momento, a partir do conjunto das informações, poderemos tirar algumas conclusões.”

Moraes não é o primeiro integrante do STF a falar publicamente sobre os diálogos divulgados pelo site The Intercept na semana passada.

O ministro Gilmar Mendes disse que as conversas apontam que “quem operava a Lava Jato era o Moro” e chamou o procurador da República, Deltan Dallagnol, de “bobinho“.

Já o ministro Luís Roberto Barroso criticou o que chamou de “euforia que tomou os corruptos e seus parceiros” ao comentar os vazamentos e argumentou que as conversas foram obtidas mediante ação criminosa.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários