Moro condena empresário por propina a ex-diretor da Petrobras

Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Executivo da Decal do Brasil, Mariano Marcondes Ferraz havia sido acusado pela Lava Jato de pagar propina de US$ 868 mil ao ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

De acordo com informações da Gazeta do Povo:

O empresário Mariano Marcondes Ferraz foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro nesta segunda-feira (5) a dez anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O executivo da Decal do Brasil foi acusado pela força-tarefa da Operação Lava Jato de pagar propina de US$ 868 mil ao ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, delator da investigação.

“A lavagem, no presente caso, envolveu especial sofisticação, com a utilização de contas no exterior em nome de empresas offshores, tanto pelo pagador como pelo recebedor de propinas, inclusive mais de três pelo pagador, e emissão fraudulenta de invoices [termo em inglês para notas fiscais de compras internacionais]. Tal grau de sofisticação não é inerente ao crime de lavagem e deve ser valorado negativamente a título de circunstâncias”, considerou o magistrado.

Sergio Moro decretou “a interdição de Mariano Marcondes Ferraz para o exercício de cargo ou função pública ou de diretor, membro de conselho ou de gerência das pessoas jurídicas”.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *