Moro condena empresário por propina a ex-diretor da Petrobras

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Executivo da Decal do Brasil, Mariano Marcondes Ferraz havia sido acusado pela Lava Jato de pagar propina de US$ 868 mil ao ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

De acordo com informações da Gazeta do Povo:

O empresário Mariano Marcondes Ferraz foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro nesta segunda-feira (5) a dez anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O executivo da Decal do Brasil foi acusado pela força-tarefa da Operação Lava Jato de pagar propina de US$ 868 mil ao ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, delator da investigação.

“A lavagem, no presente caso, envolveu especial sofisticação, com a utilização de contas no exterior em nome de empresas offshores, tanto pelo pagador como pelo recebedor de propinas, inclusive mais de três pelo pagador, e emissão fraudulenta de invoices [termo em inglês para notas fiscais de compras internacionais]. Tal grau de sofisticação não é inerente ao crime de lavagem e deve ser valorado negativamente a título de circunstâncias”, considerou o magistrado.

Sergio Moro decretou “a interdição de Mariano Marcondes Ferraz para o exercício de cargo ou função pública ou de diretor, membro de conselho ou de gerência das pessoas jurídicas”.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.