Moro quer agilizar leilões dos bens do tráfico

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Projeto CheckIn permite aos policiais fazerem a inclusão de dados de bens recolhidos no âmbito de operações contra organizações do tráfico.

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, quer ampliar a identificação e localização de bens confiscados do tráfico para agilizar leilões por todo o Brasil

Através do Projeto CheckIn, a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) passa a autorizar agentes policiais a inserirem informações e dados para atualização dos patrimônios apreendidos em operações e que ainda estão armazenados nos pátios das delegacias pelo País.

Dos 12.823 bens apreendidos e que ocupam pátios policiais de São Paulo, 29% estão com a documentação incompleta. A maioria é de produtos eletrônicos e veículos.

Em 2019, a Senad arrecadou cerca de R$ 4,5 milhões com o leilão de bens apreendidos do tráfico. Apenas em São Paulo, a arrecadação foi a quase R$ 1,5 milhão.

Até 40% do valor, que é destinado ao Fundo Nacional Antidrogas, retorna para as polícias que apreenderam os bens, informa o portal R7.

O dinheiro é revertido em investimentos, estrutura, equipamentos e aquisição de outros instrumentos de repressão ao tráfico.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.