Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Moro quer agilizar leilões dos bens do tráfico

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Matéria da Folha sobre Moro está equivocada, diz Lava Jato
Imagem: MAURO PIMENTEL/AFP/

Projeto CheckIn permite aos policiais fazerem a inclusão de dados de bens recolhidos no âmbito de operações contra organizações do tráfico.

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, quer ampliar a identificação e localização de bens confiscados do tráfico para agilizar leilões por todo o Brasil

Através do Projeto CheckIn, a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) passa a autorizar agentes policiais a inserirem informações e dados para atualização dos patrimônios apreendidos em operações e que ainda estão armazenados nos pátios das delegacias pelo País.

Dos 12.823 bens apreendidos e que ocupam pátios policiais de São Paulo, 29% estão com a documentação incompleta. A maioria é de produtos eletrônicos e veículos.

Em 2019, a Senad arrecadou cerca de R$ 4,5 milhões com o leilão de bens apreendidos do tráfico. Apenas em São Paulo, a arrecadação foi a quase R$ 1,5 milhão.

Até 40% do valor, que é destinado ao Fundo Nacional Antidrogas, retorna para as polícias que apreenderam os bens, informa o portal R7.

O dinheiro é revertido em investimentos, estrutura, equipamentos e aquisição de outros instrumentos de repressão ao tráfico.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email