Português  English  Español

Apoie o jornalismo independente!

Moro quer condenados por homicídio cumprindo pena já na 1ª instância

Moro quer condenados por homicídio cumprindo pena já na 1ª instância
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Moro prometeu enviar ao Congresso uma proposta que autoriza a execução da pena a partir de uma condenação pelo Tribunal do Júri – ou seja, em casos de crimes contra a vida, caso dos homicídios.

Esta foi uma das propostas que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, prometeu avançar logo no início da legislatura.

Já no discurso de posse, Moro disse que pretende “fortalecer o Tribunal do Júri, prevendo a execução imediata dos veredictos condenatórios”.

Na prática, o Tribunal do Júri é o primeiro grau de Justiça nos casos dos crimes contra a vida. E ainda cabem recursos tanto no próprio tribunal quanto em instâncias superiores.

A execução da pena nesse estágio, segundo advogados ouvidos pela “Gazeta do Povo“, é inconstitucional e pode trazer uma série de problemas processuais.

São julgados nesse tipo de tribunal crimes dolosos (intenções) contra a vida, como homicídio, infanticídio, participação em suicídio e aborto.

Quem decide sobre condenação ou absolvição dos réus, nesses casos, é um conjunto de jurados que são pessoas comuns que se voluntariam para participar dos julgamentos.

Em caso de condenação, o juiz que conduz o julgamento é responsável por fixar a pena.

As sentenças podem ser alvo de recursos no próprio tribunal, se a defesa conseguir apontar vícios ou irregularidades no julgamento. Nesse caso, um novo julgamento, com novos jurados, é realizado.

Em segundo grau, a Justiça também pode rever as penas aplicadas pelo juiz que conduziu o processo e o regime de cumprimento da pena.

Compartilhe...

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...