Português   English   Español

Morte em carreata pró-Haddad não teve motivação política

O rapaz assassinado não tinha antecedentes criminais, mas era integrante de facção criminosa, já havia praticado crimes e estava marcado para morrer.

O crime que vitimou Charlione Lessa Albuquerque, 23 anos, em uma carreata a favor do candidato derrotado do PT, Fernando Haddad, em Pacajus não teve motivação política, segundo concluíram as investigações da Polícia Civil do Ceará.

A informação foi repassada em coletiva de imprensa no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), na manhã desta quinta-feira (22), segundo informações do jornal “O Povo“.

O delegado responsável pelo caso afirmou que os dois homens presos e o adolescente apreendido frisaram, em depoimento, que a morte poderia ter acontecido em “qualquer outro local”.

De acordo com as investigações, Charlione não tinha antecedentes criminais, mas era integrante de facção criminosa, já havia praticado crimes e estava marcado para morrer. Ele teria se mudado de Pacajus para a Capital por já estar em conflito com criminosos da área.

Em tuíte publicado no dia 27 de outubro, o candidato do PT tentou explorar politicamente o assassinato do rapaz.

“Ele estava no carro com a mãe celebrando a democracia e acabou morto”, declarou Haddad.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter