Português   English   Español

5 motivos que levaram Trump a deixar o acordo nuclear com Irã

trump-ira

O presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos estavam saindo do acordo nuclear com Irã nessa terça-feira (8).

Trump justificou sua decisão com palavras duras, ignorando, mais uma vez, a consternação da grande mídia e dos aliados europeus.

O presidente dos Estados Unidos explicou que “o regime iraniano é o principal patrocinador do terrorismo. Ele exporta mísseis perigosos, alimenta conflitos em todo Oriente Médio e apoia milícias terroristas como Hezbollah, Hamas, Talibã e Al Qaeda.”

Donald Trump continuou seu pronunciamento listando as atividades terroristas das quais o regime islâmico participou, mencionando que as lideranças islâmicas “saquearam a riqueza de seu próprio povo”.

Trump continuou dizendo que o acordo fechado por Barack Obama com o Irã “deveria proteger os Estados Unidos e nossos aliados da insanidade de uma bomba nuclear iraniana”, mas que, ao invés disse, o acordo “permite que o Irã continuasse enriquecendo urânio e – com o tempo – atinja a fronteira nuclear”.

Você pode até discordar da decisão de Trump. Mas esta afirmação acima está eminentemente correta. Todos os defensores do acordo que sugerem que as ambições nucleares do Irã foram limitadas estão mentindo. As ambições do regime iraniano foram apenas adiadas, com o pleno conhecimento de que uma rompimento do acordo em 2025 resultaria em zero sanções de qualquer tipo.

Como Trump afirmou, “no momento em que os Estados Unidos tiveram o máximo de alavancagem, este acordo desastroso deu a este regime muitos bilhões de dólares, alguns deles em dinheiro real – um grande embaraço para mim como um cidadão e para todos os cidadãos dos Estados Unidos”.

O jornal The Daily Wire listou cinco razões que deixam claro porque a decisão do presidente Donald Trump foi acertada. Renova Mídia fez a tradução e apresenta logo abaixo.

1. Este acordo nunca deveria ter sido assinado

Por todas as razões mencionadas por Trump, este acordo nunca deveria ter sido assinado. A equipe Obama mentiu descaradamente ao povo americano sobre a moderação recente do presidente Rouhani; o governo de Rouhani é um governo terrorista.

O acordo não resolve nada sobre os programas de mísseis do Irã ou o financiamento ao terrorismo. Os Estados Unidos agora fornecem dinheiro para pagar por ambos. E o Irã não tem intenção de se desarmar; eles só querem atrasar até valer a pena não fazer mais.

2. O acordo preveniu a ação coordenada

O acordo não removeu apenas as sanções ao Irã. Ele efetivamente impediu que os aliados dos Estados Unidos fizessem qualquer coisa para conter o avanço nuclear iraniano.

Caso Israel e Arábia Saudita tivessem atacado as instalações iranianas, eles teriam rompido com os Estados Unidos e os europeus. O acordo efetivamente tornou Teerã um aliado e verdadeiros aliados americanos inimigos.

3. O acordo nunca foi aprovado pelo Senado

Obama conseguiu elaborar uma arrumação patético com o senador Bob Corker (R-TN) para reverter o curso normal do procedimento de aprovação do tratado. Ao invés de 60 senadores necessários para assinar um tratado, agora seriam necessários 60 senadores para matar um tratado. Isso nunca foi constitucional. Trump está certo em revogar o acordo apenas por esses motivos.

4. O Irã ficou intensamente agressivo desde o acordo

Desde 2015, o ritmo do fortalecimento do Irã na Síria só aumentou. O Hezbollah assumiu efetivamente todo o Líbano. O Hamas se armou novamente com ajuda iraniana. O Iêmen mergulhou em caos com participação do Irã. O Irã intensificou seus programas terroristas desde que ficou claro que os Estados Unidos não apoiariam seus aliados contra o Irã de maneira séria.

5. O acordo não impediu a busca por armas nucleares

Depois da Guerra do Iraque, Muammar Kadafi desistiu de seu programa nuclear, sabendo que havia uma séria possibilidade de que os Estados Unidos agissem. Depois do acordo nuclear com o Irã, o regime norte-coreano perseguiu ainda mais o desenvolvimento nuclear, sabendo que ganharia guloseimas dos Estados Unidos.

Ao retirar-se do acordo nuclear com o Irã e deixando claro que há conseqüências contínuas para as ditaduras que buscam armas nucleares, Trump tornou óbvio para a Coreia do Norte que o melhor é se desarmar e fazer isso com métodos confiáveis de execução.

 

Não, sair do acordo nuclear não terminará numa guerra liderada pelos Estados Unidos contra o Irã – Trump não tem tal desejo. Mas abre a possibilidade de uma ação conjunta dos aliados dos EUA, tanto economicamente quanto militarmente, caso seja necessário. O falso binário apresentado pela equipe de Obama sempre foi uma mentira horrível.

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...