Mourão defende revisão histórica do 31 de março de 1964

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, defendeu uma revisão histórica do 31 de março de 1964.

Ao comentar as “comemorações” do próximo dia 31 de março, na última quarta-feira (27), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que a data representa um “fato histórico” e que é preciso “mostrar o que aconteceu”.

O general da reserva considera que no futuro a data será vista como o “ápice das intervenções militares”.

Segundo a jornalista Julia Lindner, Mourão afirmou:

“Cada um tem sua ótica sobre isso aí, eu vejo que precisamos que atores e historiadores isentos analisem, esta é a minha visão.

E acrescentou:

“Olho muito assim e acho que no futuro vai ser visto que 31 de março foi o ápice das intervenções militares durante a história da República.”

Mourão também destacou que o início da ditadura ocorreu no “contexto da guerra fria” para justificar excessos cometidos por militares:

“Guerra tem excessos e estas coisas são sabidas. Acho que o que vai ser feito em termos de ordem do dia vai ser algo muito conciliador colocando que as Forças Armadas combateram o nazifascismo, combateram o comunismo e isto é passado e faz parte da história.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.