MPF abre ação contra transportadoras suspeitas de locaute

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com ação na Justiça para que duas transportadoras de combustíveis, suspeitas de locaute, voltem a operar normalmente no Rio Grande do Sul.

Os investigadores sustentam que as empresas reduziram o abastecimento no estado, em apoio à greve dos caminhoneiros.

De acordo com informações da Folha:

Conforme a ação, a Transportes Dalçoquio e a Henrique Stefani Transporte e Logística, principais responsáveis por levar combustíveis da BR Distribuidora aos postos gaúchos e ao Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, têm se negado a prestar o serviço.

“Dada a concentração, nas empresas referidas, da atividade de distribuição de combustíveis entre as refinarias e os postos de atendimento à população e aos órgãos públicos, o movimento de protesto e paralisação nelas encontra importante fonte de sustentação”, diz trecho da peça enviada na segunda (28) à Justiça Federal.

Piquetes organizados em frente aos locais de saída de caminhões atrapalharam a logística de distribuição no RS. Porém, o MPF sustenta que motoristas das empresas não se apresentaram para dirigi-los mesmo quando a PRF (Polícia Rodoviária Federal) montou esquema de escolta.

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações