MPF ajuíza ação civil pública contra regulamentações ilegais que impedem aquisição e registro de armas de fogo

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Estatuto do Desarmamento exige apenas que o interessado em adquirir arma de fogo apresente “declaração de necessidade”.

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF) ajuizou, nesta quinta-feira (14), ação civil pública, com pedido de antecipação de tutela de evidência, para que a União seja proibida de utilizar regulamentações ilegais, que exigem comprovação à autoridade policial da necessidade de aquisição e registro de arma de fogo.

De acordo com informações do Globo:

O procurador da República Ailton Benedito de Souza, autor da ação civil, ataca o governo por usar duas regulamentações — Decreto 5.123/2004 e Instrução Normativa 23/2005 da PF – para prever a exigência de comprovação da necessidade das armas. Tais normas, para ele, são ilegais porque extrapolariam o Estatuto do Desarmamento, que requer apenas a “declaração de necessidade”, mas não comprovação, no caso de posse.

O procurador Ailton declarou:

O tema integra a defesa dos direitos fundamentais insculpidos na Constituição Federal, especialmente à vida, à liberdade, à propriedade e à segurança pública, não podendo a Administração Pública colocar entraves para a aquisição e registro de armas de fogo aos cidadãos que cumpram rigorosamente o previsto no Estatuto do Desarmamento.

 

Com informações de: (1)

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.