Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

MPF pede transferência do esfaqueador Adélio Bispo

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Justiça diz que Adelio Bispo não pode ser punido criminalmente
Imagem: Ricardo Moraes/Reuters

A prisão preventiva do esfaqueador foi convertida em internação psiquiátrica por tempo indeterminado.

O Ministério Público Federal (MPF) defendeu a transferência de Adélio Bispo de Oliveira do Presídio Federal de Campo Grande, onde o esfaqueador do presidente da República, Jair Bolsonaro, está detido desde o atentado, ocorrido em setembro de 2018.

A procuradoria afirma que o presídio no Mato Grosso do Sul “não possui aptidão para execução de medida de segurança imposta pela Justiça”, e a permanência de Adélio no local afronta a lei.

Em junho do ano passado, Adélio foi absolvido do crime contra Bolsonaro pelo juiz federal Bruno Savino, por ser considerado inimputável.

O Ministério Público alega que manter o ex-militante do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) no presídio de segurança máxima, em vez de transferi-lo para um hospital de custódia, poderia contribuir para o agravamento dos seus transtornos psíquicos, informa o repórter Fausto Macedo, do jornal Estadão.

O MPF apresentou dois ofícios expedidos pela direção do presídio federal em Campo Grande, no qual a unidade reconhece a “falta de aptidão” para o caso Adélio e pede sua transferência para um “local adequado”.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email