Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

‘Muçulmanos têm direito de matar franceses’, diz ex-premiê da Malásia

'Muçulmanos têm direito de matar franceses', diz ex-premiê da Malásia
COMPARTILHE

O posicionamento de Macron gerou duras reações de líderes islâmicos nos últimos dias.

Após a execução de um professor por um terrorista da Chechênia nas ruas de Paris, o presidente Emmanuel Macron prometeu endurecer medidas para impedir a radicalização islâmica.

Dias antes, ele já havia anunciado um plano para evitar o que chamou de “separatismo islâmico” na França.

O posicionamento de Macron gerou duras reações de líderes islâmicos nos últimos dias.

Nesta quinta-feira (29), horas após um terrorista invadir a Basílica de Notre-Dame, em Nice, e degolar uma mulher dentro do templo católico, um ex-premiê da Malásia voltou a ameaçar os franceses.

“Os muçulmanos têm o direito de ficar com raiva e matar milhões de franceses pelos massacres do passado”, escreveu Mahathir bin Mohamad, em mensagem no Twitter.

Mahatir serviu como Primeiro-Ministro da Malásia por mais de 22 anos, deixando o cargo — após indas e vindas — em março de 2020.

O ex-premiê da Malásia continuou mirando diretamente em Macron:

“Macron está mostrando que não é civilizado. Ele é muito primitivo em culpar a religião do Islã e os muçulmanos pelo assassinato do professor insultuoso. Não está de acordo com os ensinamentos do Islã.”

Mahatir finalizou com novas ameaças:

“Já que você culpou todos os muçulmanos e a religião dos muçulmanos pelo que foi feito por uma pessoa irada, os muçulmanos têm o direito de punir os franceses.”

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE