Mulher jihadista é acusada nos EUA de lavar dinheiro com bitcoins para apoiar Estado Islâmico

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A moradora do estado de Nova York foi acusada formalmente nesta quarta-feira (14) por tribunal federal de lavagem de dinheiro com bitcoins e outras criptomoedas para financiar o grupo terrorista Estado Islâmico.

De acordo com informações da JC Online:

Zoobia Shanaz, de 27 anos, foi detida ontem e prestará depoimento em breve à juíza Kathleen Tomlinson para a leitura formal das cinco acusações que recebeu. A pena máxima, neste caso, é de 30 anos de prisão.

Segundo um comunicado da promotoria federal do distrito leste de Nova York, a mulher teria  fraudado várias instituições financeiras em mais de US$ 85 mil e converteu a quantia em bitcoins e outras criptomoedas. Posteriormente, segundo as acusações apresentada pelos promotores, Shanaz lavou o dinheiro e o transferiu para fora do país para apoiar o Estado Islâmico.

O crime aconteceu entre março e julho, quando a acusada obteve um crédito bancário de US$ 22,5 mil e pediu cartões de crédito com os quais comprou US$ 62 mil em várias criptomoedas.

De acordo com a promotoria, a mulher fez então várias transferências que totalizavam US$ 150 mil para pessoas e empresas com sede no Paquistão, na China e na Turquia que visavam “beneficiar o EI”.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.