Nicolás Maduro acusa EUA de promover golpe e prende militares

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou nesta quinta-feira (24) os Estados Unidos de orquestrarem uma conspiração para derrubá-lo do poder e determinou a prisão de vários militares.

Após prestar juramento diante da Assembleia Constituinte como vencedor das fraudulentas eleições no domingo (20) passado, Nicolás Maduro presidiu uma cerimônia na qual a Força Armada lhe prestou “lealdade absoluta”.

Diante da cúpula militar, o ditador da Venezuela declarou:

Estão detidos todos os responsáveis de terem se vendido e de terem se entregue a traidores que lhes pagaram em dólares, da Colômbia, para que traíssem a honra, a moral e a lealdade da nossa amada Força Armada.

E acrescentou:

Uma conspiração financiada e dirigida da Colômbia e estimulada e promovida pelo governo dos Estados Unidos para dividir as Forças Armadas, e com uma grande ação publicitária, militar, tentar no momento que se suspendessem as eleições de 20 de maio.

Maduro não informou a patente dos acusados, nem quando foram presos, limitando-se a dizer que a operação aconteceu “nas últimas semanas”.

O ditador venezuelano concluiu:

Estamos atrás do principal financiador que se encontra foragido em território venezuelano e cedo ou tarde vamos prendê-lo. Exijo máxima lealdade da Força Armada Nacional Bolivariana, máxima lealdade à Constituição (…), máxima lealdade ao comandante-chefe das Forças Armadas.

 

Com informações do: [UOL]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.