- PUBLICIDADE -

Nomes ligados ao MBL são presos por lavagem de dinheiro

Nomes ligados ao MBL são presos por lavagem de dinheiro
- PUBLICIDADE -

Promotoria investiga movimentação de R$ 400 milhões de empresas ligadas ao MBL.

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, nesta sexta-feira (10), dois empresários ligados ao Movimento Brasil Livre (MBL) por suspeita de envolvimento no desvio de mais de R$ 400 milhões.

Alessander Mônaco e Carlos Antonio de Morais Afonso, mais conhecido como Luciano Ayan, foram detidos durante uma operação conjunta entre a Polícia Civil, o Ministério Público de São Paulo e a Receita Federal.

O Ministério Público Estadual diz que o MBL recebia “doações de forma suspeita” por meio de “cifras ocultas” em uma “confusão jurídica empresarial” com o Movimento Renovação Liberal (MRL).

As buscas da polícia incluíram a sede do MBL. Ao fim das diligências, o material apreendido seguiu para o Ministério Público e os detidos foram encaminhados à sede do DOPE (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), na Rua Brigadeiro Tobias, número 527, no bairro da Luz, destca o UOL.

A operação foi batizada de “Juno Moneta”, em referência a um antigo templo romano onde eram cunhadas as moedas na antiguidade. 

O DOPE enviou 35 policiais e 16 viaturas para cumprir seis mandados de busca e apreensão e as duas prisões na capital paulista e em Bragança Paulista.

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), cofundador do MBL, confirmou a busca e apreensão na sede do grupo, mas negou que os detidos sejam membros.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -