PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Notícia-crime contra Bolsonaro: PGR quer esperar fim da CPI

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Manifestação sobre o caso foi enviada pela PGR, nesta terça-feira (29), ao STF.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

A Procuradoria-Geral da República (PGR) quer que o Supremo Tribunal Federal (STF) aguarde a conclusão da CPI da Pandemia antes de apurar uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro envolvendo a compra da vacina Covaxin, da Índia.

Uma manifestação foi enviada pela PGR, nesta terça-feira (29), ao STF.

A movimentação acontece um dia após receber a notícia-crime registrada por senadores pedindo a investigação de Bolsonaro por suposta prevaricação.

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, requereu à ministra Rosa Weber, que é relatora do pedido, que não dê prosseguimento ao caso para não haver “investigação concorrente” aos trabalhos da comissão.

Em sua manifestação ao STF, Medeiros questiona a necessidade de uma apuração paralela à da CPI:

“Se o Poder Legislativo está a investigar com excelência comportamentos aparentemente ilícitos com todas as competências necessárias, qual seria o motivo para que no Supremo Tribunal Federal se abra uma investigação concorrente, tomada por freios e contrapesos institucionais e sem igual agilidade?”

Ainda de acordo com o procurador, seria “por demais extraordinário” se o Ministério Público saltasse de uma notícia-crime para uma ação penal:

“Não é um juízo nem superficial, nem por impulso. É isso que a Constituição espera do órgão ao provocar com independência o Poder Judiciário.”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.