Novo governo esquerdista da Itália já enfrenta atritos internos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O novo governo esquerdista da Itália mal tomou posse e já enfrenta a ameaça de uma cisão em um dos partidos da base aliada.

Rumores indicam que o ex-primeiro-ministro da Itália e senador Matteo Renzi deixará o Partido Democrático (PD), alinhado à esquerda, para fundar uma nova legenda.

Os boatos sobre sua saída circulam na política italiana há mais de um ano, mas agora o rompimento é tratado por muitos como iminente, informa a agência ANSA.

O objetivo de Renzi seria fundar uma legenda capaz de atrair votos de eleitores moderados de centro e até do Força Itália (FI), partido conservador presidido pelo ex-premier Silvio Berlusconi.

Ao mesmo tempo, Renzi continuaria na aliança com o populista Movimento 5 Estrelas (M5S) para tentar influenciar as decisões do primeiro-ministro Giuseppe Conte, que tomou posse para seu segundo mandato em 5 de setembro.

O líder do PD e governador do Lazio, Nicola Zingaretti, afirmou que um partido unido é “útil à democracia e à estabilidade do governo”. “Dividir-nos neste momento é um erro gravíssimo que a Itália não entenderia”, acrescentou.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.