Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

O Antagonista prova do próprio veneno

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
O Antagonista prova do próprio veneno

Alvo de censura pelo ministro Alexandre de Moraes, o blog “O Antagonista” também vê seu financiamento na mira do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli.

Em entrevista para o jornal Valor Econômico, que será publicada na edição de sexta-feira (19), Dias Toffoli levantou suspeitas sobre o financiamento de O Antagonista e da revista Crusoé:

“Tem que lembrar quem financia esses sites. Isso não é imprensa livre. É imprensa comprada.”

Segundo a revista Época, “interlocutores” de Toffoli e de seu colega Alexandre de Moraes disseram:

“Alguns dos que se perfilam em apoio aos dois ministros alegam que a revista eletrônica censurada não seria um órgão de imprensa, mas sim uma página digital de proselitismo político.”

E acrescentaram:

“Toffoli e Moraes insinuaram desconsiderar a Crusoé e o site que controla a revista, O Antagonista, como imprensa, e sim, nas palavras do interlocutor, como ‘sites vendidos’, insinuando que os veículos não teriam como premissa a publicação de informações isentas e de interesse público.”

Mario Sabino e Diogo Mainardi, sócios de O Antagonista, demonstraram repúdio aos comentários do magistrado.

Em sua resposta ao comentário de Toffoli, Sabino explicou como o site se sustenta:

“O Antagonista e a Crusoé não aceitam receber nenhum patrocínio estatal, inclusive na forma de anúncios. Também não recebem mesada. O Antagonista sobrevive principalmente por meio de publicidade de empresas privadas, via mídia programática. Uma pequena parte da nossa receita é obtida por meio da propaganda da nossa sócia, publicadora de relatórios financeiros. Divulgamos isso quando firmamos a sociedade, o que levou a que inventassem que ‘especulamos com a notícia’. A Crusoé vive exclusivamente da venda de assinaturas. Somos uma empresa saudável e podemos abrir as nossas contas sem necessidade de inquéritos inquisitoriais.”

Mainardi disse que “o ministro está dando bandeira” e deu a entender que considera os questionamentos de Toffoli como uma forma de calúnia.

Acontece que, pouco mais de dois meses atrás, o site, que agora está sendo perseguido pelo STF, atacou um veículo da mídia independente utilizando a mesma narrativa.

“Quem paga Allan Terça Livre, o blogueiro sujo do bolsonarismo?”, questionou o perfil oficial de O Antagonista no Twitter.

O jornalista Allan dos Santos é um dos sócios do site Terça Livre, um dos principais expoentes do jornalismo independente brasileiro.

Segundo Allan, a sua empresa obtém retorno financeiro com a venda de cursos e livros e através de doações de leitores. Uma resposta nos mesmos moldes da utilizada por O Antagonista para rebater Toffoli.

A censura deve ser rejeitada de todas as formas. Todas as mídias independentes atacadas por O Antagonista ao longo dos últimos meses saíram em defesa do site contra a ação ditatorial do Supremo.

Que este fatídico episódio sirva para colocar um pouco de humildade em quem comanda os rumos desta empresa.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email