OMS quer suspender direito de voto da Venezuela por falta de pagamento

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou a suspensão do direito ao voto da Venezuela na entidade a partir do ano que vem e o impedimento da participação da ditadura de Nicolás Maduro nas decisões que afetam a agenda da saúde internacional.

A medida isolará ainda mais o país e amplia o temor de que questões de saúde não estejam recebendo um tratamento adequado por Caracas.

Documentos apontam que o motivo da proposta de afastamento é financeiro. Cabe agora aos ministros dos 193 países presentes na Assembleia Mundial da Saúde, que se reúne a partir de segunda-feira (21) decidir o destino da Venezuela.

A ditadura venezuelana não paga suas contribuições obrigatórias à agência de saúde da ONU desde 2014.

O total da dívida chega a US$ 8 milhões, valor considerado pequeno em um orçamento de US$ 1 bilhão da entidade. Mas, pelas regras, atrasos consecutivos nos pagamentos e a falta de um plano para quitar a dívida resultam na suspensão de voto.

 

Com informações de: [JovemPan]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia