Onda de saques em cemitérios na capital da Venezuela

Nos últimos meses, cerca de 6.000 peças de metal foram levadas do Cemitério do Leste, um dos principais de Caracas, a capital da Venezuela, informa a agência Associated Press.

Embora os furtos em cemitérios já acontecessem na cidade, eles aumentaram muito à medida que o país, sob a ditadura de Nicolás Maduro, foi consumido pela crise política e econômica.

Uma avalanche de reclamações nas redes sociais fez com que os administradores do cemitério reconhecessem os furtos e anunciassem um plano para a substituição das peças por marcações de plástico.

Desde então, algumas peças foram removidas e não foram substituídas, deixando os parentes sem saber se os túmulos de seus entes queridos foram saqueados ou se as peças foram guardadas.

“Isso foi no início de maio, e ainda hoje não sabemos nada”, disse Ivonne de Gutiérrez, ouvida pela agência. As placas de bronze que identificavam as lápides de um sobrinho e duas tias de Ivonne foram furtadas do Cemitério do Leste.

 

Com informações de O Antagonista
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia