ONGs tentam utilizar o Vaticano para manter controle da Amazônia brasileira

Português   English   Español
ONGs tentam utilizar o Vaticano para manter controle da Amazônia brasileira
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Agência Brasileira de Inteligência (Abin) identificou uma tentativa de organizações não-governamentais, movimentos sociais, partidos de esquerda e setores progressistas da Igreja Católica para interferir na agenda do governo federal.

A batalha do presidente Jair Bolsonaro contra a influência de ONGs internacionais no manejo da Amazônia brasileira está apenas começando, mas promete capítulos intensos nos próximos anos.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou que há uma “preocupação” do Planalto com as reuniões e os encontros preparatórios do Sínodo sobre a Amazônia.

“Há muito tempo existe influência da Igreja e ONGs na floresta”, disse Heleno ao jornal Estadão.

Durante 23 dias, o Sínodo no Vaticano discutirá a situação da Amazônia e tratará de temas utilizados pela esquerda globalista para atacar governantes de viés direitista ao redor do mundo.

Setores progressistas da Igreja Católica pretendem aproveitar o Sínodo para criticar o governo Bolsonaro e angariar respaldo internacional contra as políticas do novo presidente acerca da região Amazônica.

“Achamos que isso é interferência em assunto interno do Brasil”, disse o ministro do GSI.

Mais próximo conselheiro do presidente Jair Bolsonaro, Heleno relativizou a capacidade da Igreja de causar problemas para o governo.

“Não vai trazer problema. O trabalho do governo de neutralizar impactos do encontro vai apenas fortalecer a soberania brasileira e impedir que interesses estranhos acabem prevalecendo na Amazônia”, afirmou.

Os “interesses estranhos” citado por Heleno estão sendo combatidos por outros Ministérios do governo Bolsonaro.

A pasta do Meio Ambiente, por exemplo, suspendeu os contratos de todas as ONGs enquanto uma análise mais profunda sobre a eficiência dos mesmos é colocada em prática.

O titular do Ministério, Ricardo Salles, também pediu um levantamento de todos os desembolsos efetuados por fundos do ministério, como Fundo Clima, Fundo Nacional do Meio Ambiente e Fundo Amazônia que tenham como beneficiários organismos do terceiro setor, conforme noticiou a RENOVA.

SIGA A RENOVA

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

Veja também...