ONU chama leis pró-vida da Irlanda do Norte de “violência contra mulheres”

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O Comitê da ONU para a Eliminação da Discriminação contra a Mulher (CEDAW) declarou que a Irlanda do Norte está violando os direitos das mulheres por restringir o acesso ao aborto.

Com uma legislação única entre as nações que compõem o Reino Unido, a Irlanda do Norte permite o aborto apenas quando a vida ou a saúde da mãe está em risco pela gravidez. Como resultado, o aborto por lá é raro.

Entre 2016 e 2017, apenas 13 abortos foram realizados no país.

Ruth Halperin-Kaddari, porta-voz da CEDAW, declarou:

A negação do aborto e a criminalização do aborto equivalem a discriminação contra as mulheres porque é uma negação de um serviço que só as mulheres precisam. Isso coloca as mulheres em situações horríveis.

Halperin-Kaddari afirma que as leis pró-vida na Irlanda do Norte “constituem violência contra as mulheres que podem ser uma tortura ou tratamento cruel, desumano ou degradante“.

A Irlanda do Norte rejeitou a calúnia da ONU e apontou para o órgão que as mulheres que querem abortos indiscriminados podem obter no Reino Unido.

 

Com informações de: [LifeSiteNews]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.