OPINIÃO | Aborto: uma atitude de criança

Artigo de opinião escrito pelo estudante Erick Lima no projeto Voluntários RENOVA

Estamos em pleno 2018 e por qual motivo ainda existem pessoas que defendem o Aborto? Até aonde Globalistas e Feministas continuarão a defender tal ato desumano?

Até hoje a discussão sobre o Aborto é uma questão recorrente em debates de internet, mesas de bar e até mesmo em casa. Mesmo sendo provado por A+B que além de ser um ato desumano, é um ato em que, na teoria, um “adulto” comete um assassinato.

Defender e praticar o aborto, são duas atitudes desumanas, além de ser um grande absurdo. Quem pratica o aborto não é muito diferente de uma criança que faz xixi na cama e vira o colchão na tentativa de “esconder” aquilo que fez.

 

Tudo tem uma consequência

Entrar em um tiroteio é ter consequência de uma possível morte: sua, ou do seu inimigo. Uma pessoa quando está em um ato sexual com seu parceiro(a), também deveria ter noção das consequências e entender que existem diversos meios de prevenir uma possível gravidez, de maneiras muito simples.

O professor de biologia Amaral explana sobre alguns métodos contraceptivos.

Quem defende o Aborto?

Da esquerda pra direita em sentido horário: George Soros, Feministas, Jean Wyllys, Dráuzio Varela e Edir Macedo.

Os globalistas insistem na história da superpopulação, onde eles afirmam que “tem gente demais no planeta” e que isso pode ser prejudicial a humanidade, pois em algum momento irá faltar comida e água pra todo mundo. Eles afirmam que incentivando o aborto, isso retardaria o crescimento populacional.

Além de ser um papo furado, já foi mais que provado que é totalmente o contrário. Não está sobrando pessoas no mundo, e sim faltando! Vários pesquisadores comprovaram que toda a população mundial cabe tranquilamente no estado do Texas [ver link no final do artigo].

 

Refutando os argumentos pró-aborto

As mulheres que defendem o aborto são na maioria feministas. E, nós sabemos que elas não são muito apegadas a ler um livro, muito menos ter conhecimento a respeito de leis, estatísticas, lógica e coerência. Irei mostrar como são ridículos os argumentos usados por elas e como qualquer um pode refutá-los com algumas horas de pesquisas sem nem se aprofundar muito no caso.

Se você é homem, não pode falar sobre o aborto, fique quieto”  | Parece muito um argumento de crianças discutindo sobre futebol:  “Você acha que o Neymar é ruim? Joga mais que ele então”.  Então deveriam ser demitidos metade dos comentaristas esportivos do país, pois boa parte deles nunca praticou o esporte em que comentam. Eu não poderia criticar um filme pois não sou diretor. Eu não posso falar mal de uma música ruim pois não sou músico.

“Meu corpo, minhas regras”  |  O corpo do bebê é um corpo separado do corpo da mulher, não é porque ele está dentro de você que ele faz parte do seu corpo, ele só é ligado a você por um cordão umbilical, existe diferença entre estar dentro e fazer parte.

O feto é um invasor” |  Claro que eu já vi muitos filmes de terror com um feto portando uma faca na mão e mandando uma mulher abrir a vagina para ele poder entrar, no estilo dos filmes do Chucky.

Se legalizar, os abortos irão diminuir” |  Esse é o mito usado pela esquerda do qual se legalizar diminui, do mesmo jeito que disseram que se legalizar a maconha o comércio da “erva” irá diminuir. Não é necessário ir muito longe pra provar o contrário. Ali no nosso querido e vizinho Uruguai, legalizaram a maconha e o narcotráfico e os homicídios aumentaram, ué?

“Se é legal, então eu posso fazer” |  Novamente, usar a lei como parâmetro ou justificativa para fazer algo nunca funciona, você sabia que o Apartheid era legal? Que a escravidão, o Holocausto e os Gulags eram legais? Matar é ilegal, mas pessoas continuam matando.

“Não tenho dinheiro para sustentar a criança” |  Irei dar uma sugestão simples, suba em uma favela, e você irá constatar inúmeras mães com filhos e muitas vezes a maioria destas mães trabalham noite e dia, algumas com dois empregos e bicos, com poucas condições de sustentar suas casas e seus filhos, na base de muito suor, e não vejo nenhuma mãe falando em matar seus filhos alegando não ter dinheiro suficiente para sustentá-los. Lá na Venezuela onde a situação é 100 vezes pior, adultos estão deixando de comer para que as crianças comam. Notícias recentes apontam que um Venezuelano morre a cada 20 minutos, seja de fome ou doenças causadas pela falta de comida. Uma camisinha custa entre 3 e 10 reais, uma pílula de primeiro dia custa entre 5 e 15, não tem dinheiro pra isso também?

“O feto não sente dor, então eu posso abortar” |  Claro, então eu posso encher uma pessoa de morfina esperar a droga fazer efeito e então eu posso matá-la.
Aliás, de onde saiu essa história que o Feto não sente dor? O hipotálamo, parte do cérebro que recebe os sinais do sistema nervoso e que liga ao córtex cerebral, se forma na quinta semana…

 

Mas e no caso do Estupro?

O estupro geralmente é um caso a parte, até renderia uma artigo separado para o assunto. Além de envolver questões políticas, sociais e morais. Ele envolve um ponto de vista pessoal e emocional de uma mulher que teve sua humanidade violada da pior forma possível.

 

Prejuízos do Aborto

Abortos tardios têm altos riscos de hemorragia, laceração e perfuração do útero. Para a mulher, (não é mãe, pois mãe é quem dá a luz) devido aos traumas do aborto e ao tecido do útero, pode tornar mais difícil ou até mesmo impossível uma nova gravidez.

Além disso, você sabia que o aborto pode aumentar as chances de câncer de mama?

 

Um médico que praticou mais de 1.200 abortos

Por fim, deixarei um vídeo descrevendo com detalhes o processo do aborto.

Anthony Levatino é um ginecologista obstetra e que realizou mais de 1.200 abortos (isso mesmo), mas mudou de opinião a respeito (como qualquer um pode mudar) e que hoje se arrepende profundamente de seus atos.

Após explicar como funciona o aborto em passos simples e ilustrações básicas, ao final do vídeo ele faz um apelo a quem ainda insiste em defender este ato.

Não importa quão grande ou pequeno seja um bebê, ele não deixa de ser uma vida humana — Anthony Levatino

 

Links e Referências

Entrevista com Anthony Levatino | Padre Paulo Ricardo

Não existem argumentos para defender o Aborto | Portal Conservador

Pílula do dia Seguinte | Tua saúde

Toda população Mundial cabe no Texas | Instituto Mises Brasil

Alexandre Porto | Aborto

Refutando argumentos sobre o Aborto | Alexandre Porto

Refutando uma Abortista/Feminista | Bernardo P. Kuster

A Grande Mentira sobre o Aborto | Nando Moura

 

Artigo de opinião escrito pelo estudante Erick Lima no projeto #VoluntáriosRENOVA

Também queremos ouvir sua voz. Entre em contato!

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *