OPINIÃO: Lula está preso. E a esquerda? Onde está?

Artigo escrito pelo voluntário Ricardo Luiz no projeto #VoluntáriosRENOVA

Desde o dia 07 de abril, o Brasil esperou mas conseguiu ver, ao vivo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva preso. Uma semana tensa, pesada, com reuniões no STF, votação até a madrugada, HC negado, advogados, ordem de prisão expedida, prazo de 24 horas a se encerrar às 17 horas da sexta e… Nada.

Isso, nada.

Sérgio Moro com uma astúcia de fazer inveja a ávidos leitores de “A arte da Guerra” de Sun Tzu, conseguiu de forma elegante e cortês, passar ao ex-presidente uma sentença onde ele e apenas ele poderia facilitar ou prejudicar seu futuro em relação aos tribunais e seus outros processos criminais. Moro ordenou que não usassem algemas, nem houvesse qualquer outra ação que lhe expusesse, entre outras coisas que considerava válidas a um ex-presidente. Esperto… (eu discordo de tudo, acho que já passou da hora de endurecer com esses criminosos).

Mesmo com toda a facilidade, o criminoso condenado não se entregou. Passaram das 17 horas e ele manteve-se escondido, enfurnado no sindicato de onde brotou para o mundo político anos e anos atrás. A partir daí, fim de expediente, começou a palhaçada. Trio elétrico, mais e mais gente chegando, churrasquinho, cachaça, cerveja, música alta de gosto duvidoso, e tudo mais do popularesco populista de que Lula sempre fez uso em sua vida pública.

A noite virou e a notícia que surgiu é que seria feita uma missa, vejam só, comunista querendo missa pra comemorar aniversário de uma morta. Tem coisa mais bizzarra? Sim, Lula tomou as vezes de padre e deu sermão contra imprensa, contra os inimigos, os juízes, e todos mais que a cachaça que fazia uso não deixou esquecer. Tudo isso, lembremos, sob o olhar e aprovação de padres!! As organizações católicas hoje emitiram notas dizendo não ter nada a ver com isso, mas sabemos que não é verdade. A teoria da libertação, que é o comunismo infiltrado na Igreja Católica, é forte e poderosa.

O dia escurece, o vai e vem, sai e não sai, portão derrubado, boatos desencontrados e… Saiu. Se entregou, começou seu passeio para Curitiba (que houvera dito em outra oportunidade que faria a pé). Fogos, rojões, muita festa, luzes piscando em prédios e o sossego de volta a São Bernardo do Campo. Já no Paraná, jaula. Pronto. Finito!

Mas a pergunta que fica é: E a esquerda? Como fica agora?

Seu principal líder, preso, inelegível, já no primeiro processo, ainda restam outros, incluindo o do sítio, onde as provas são ainda mais evidentes.

Lula fora do jogo, quem é seu sucessor?

Haddad? Ex-ministro da educação das receitas de miojo no ENEN que sequer conseguiu ir para um segundo turno com Dória, mesmo sendo o dono da máquina estatal da prefeitura de SP? E Guilherme Boulos? (Líder do MTST, sem teto, um grande dono de imóveis).

Manuela Dávila? Comunista de boutique que faz fotos na ilha presídio de Fidel, mas que gosta mesmo é de comprinhas na 5ª Avenida de NY.

Comunista de boutique. Cuba é bom, mas compras nos EUA é melhor.

Ou então o cabra macho de Sobral-CE, dito valentão que prometeu responder a bala caso fossem buscar Lula para prisão, mas que bem, até agora sequer se pronunciou sobre o caso?

É nítido e muito claro que Lula fez do PT sua casa, sua morada, seu compromisso e seu negócio. Pegou pra si o partido todo, se colocou sempre como o mais importante, a única opção, absoluta e indispensável figura. Mesmo perdendo seguidas eleições, foi mantido como única opção.

Capitalizou sempre todas as energias pra si e agora velho, cansado, moribundo, muito afetado pelo câncer que tivera anos atrás, ainda penso que não parou um segundo sequer para imaginar um substituto. Não deixou descendentes políticos, seus filhos viraram famosos e bilionários empresários depois da eleição do pai, mas não tem a verve política no sangue. Políticos do partido e velhos companheiros, os que não estão presos, estão investigados, e os que não estão investigados tem a mesma ou talvez a única expressão de um Suplicy. Difícil.

PT ainda tem poder na câmara, é o maior partido lá ainda, mas como ficará nas próximas eleições? Creio que diminuirá assim como nas eleições municipais.

E o resto dos partidos da esquerda? Os extremos; PCO, PSTU, PC do B, PSOL, esses tem apenas siglas, mas são apenas galhos finos do PT, sem muita representatividade. O PSOL, até por ter como aliado a rede Globo de tv, consegue ainda emplacar nomes de famosos, BBB´s, e conseguir sempre “especialistas” em jornais e programas de opinião, os demais, nem isso.

Os menos extremistas, com cores bonitinhas por fora mas vermelhinhos por dentro; REDE, PSB, PPS, PMN, PDT, entre outros, tem nomes até conhecidos, com certa repercussão midiática, mas são fracos demais, ninguém que surja como algo novo e que valha investir.

Ontem, 23/04, Marina Silva participou do programa Pânico da Jovem Pan, e se mostrou mais maleável, falando mais, mais esperta e nitidamente mais treinada para perguntas difíceis que nas eleições passadas. Mas já serve?

Os partidos de quase centro, aqueles do esquemão, que sempre estão no governo ou perto dele, que fingem ser sérios mas na verdade gostam de cargos e trocas de favores; PMDB, PSDB, PP, PTB, PODE, DEM, PV, PR, PSD, SD, PROS, entre outros, bem, tem dinheiro, tem cargos, tem ministérios, tem tempo de TV, mas não tem nomes fortes e limpos, muito menos nomes longe da Lava-jato.

PMDB, ou MDB, vai de Temer? Ou vai preferir o ex-ministro de Lula, Meirelles? PSDB com Aécio ainda em seus quadros, tem força pra emplacar Alckimin? PTB com a ministra que não foi ministra, mas que foi ministra NO DOU, mas que nem conseguiu a posse de ministra… deixa pra lá. DEM, com Rodrigo Maia que nem consegue ser alguém na prefeitura do Rio de Janeiro, vai conseguir alguma coisa pra presidente? Ou como tantos outros quer apenas vender seu apoio mais caro? PSD do inacreditável Kassab (Controlar sente saudades), com seu incrível poder de bastidores, vai buscar algum cargo ou apenas ser um MDB genérico, buscando estar com quem está no poder?

Então, como caminha a esquerda? Como andará a esquerda depois de 2018?

Notem, posso colocar todas as siglas do Brasil aqui, mas nenhuma delas é direita, percebeu?

Por favor, não me venham com PSDB de direita, que essa nem da mais pra rir. O próprio PSL de Jair Bolsonaro não o é.

A esquerda está sem rumo, sem norte, sem líder. Há boatos de que Lula já houvera escrito uma carta de desistência da eleição, mas só ele tem estofo e nome pra valer a pena investir. E agora?

E a direita? Vai copiar os erros da esquerda e jogar tudo na mão de Bolsonaro? Esperar dele a salvação divina? Vejo movimentação de novas pessoas para a política, gente da internet, com algum conteúdo, etc. Mas isso já basta?

Foto; Jornal O Dia

Até quando ficaremos sem um partido CONSERVADOR de fato? Um partido realmente identificado com a direita? As posições de direita? Com ideais conservadores, e princípios claros de bandido preso, estado pequeno, apoio as polícias, controle de fronteiras, preservação das crianças na escola sem sexo ou agenda gayzista, combate duro e irredutível as drogas, etc.

 

Artigo escrito pelo voluntário Ricardo Luiz no projeto #VoluntáriosRENOVA

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da Renova Mídia

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *