Português   English   Español

OPINIÃO: O Difícil Caminho da Informação

Português   English   Español
O Difícil Caminho da Informação

Os conflitos nas redes sociais são o retrato do que se quer destruir ou construir dentro do contexto social. Temos a transparência da vontade, da apelação e da controvérsia.


Há um desejo gritante por melhora, por reconstrução de valores, prioridades e conceitos, e isso não garante que essa caminhada se transforme em uma nova realidade menos produtiva. Avançamos nos processos, nas ideologias, nas certezas, nos meios, nas experiências.

O tempo avançou, algumas situações já não cabem mais.

Porém, dar uma roupagem repleta de inversão à esta direção, parece o grande desafio de boa parte de nossa grande mídia nacional.

Estamos distante de notícias que acrescentem informação relevante ou reflexão necessária à qualidade de vida que o país precisa, e precisamos de muitas coisas em função de muitas perdas.

A imparcialidade, regra básica, parece que foi esquecida pelo caminho, as manchetes são tão dúbias que mais do que nunca é preciso abrir a matéria e ler o conteúdo por inteiro, pois exatamente aí está o pulo do gato do oportunismo.

As pessoas já não tem tempo para clicar e ler textos na sua totalidade, as pessoas estão condicionadas ao resumo da matéria na manchete, e a mesma já deixou de exercer a importância de seu papel, a chamada.

Independente dos prejuízos que a fake news promove, e isso é indiscutível, muitas vezes ela chega sorrateira nos processos de informação, afinal quando a chamada não transparece a verdade da informação ela se torna uma notícia falsa.

A notícia é a grande máquina que tem o poder de construir ou destruir uma situação, mais do que nunca, agora, ela se enraíza nessa responsabilidade. As redes sociais ganham velocidade, e hoje é a maior referência de informação.

Um anônimo vira a mesa com uma frase curta de efeito. Viralizou, essa é a função que se aspira.

Acredito no poder do teclado, como do papel impresso, informação aumenta o nível de conhecimento, precisamos querer um conhecimento sólido, construtivo e comum ao bem de todos. Que tenhamos atenção à notícia e deixemos de ser, o que o outro deseja para nós, antes que façamos essa pergunta a nós em primeiro lugar.

Texto escrito pela voluntária Denise Lopes 

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.