Português   English   Español

OPINIÃO: Tem muito mais coisa em jogo

Twitter
WhatsApp
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest
Artigo de opinião do colaborador Walter Barreto no projeto Voluntários RENOVA

Em 07 de outubro próximo, os brasileiros irão às urnas.

Este artigo pretende fugir um pouco da mesmice ideológica e expor uma outra visão.

Uma visão extremamente pessoal e resultante de algumas leituras e observações. Meio tenebrosa e até apocalíptica, porque não?

Óbvio que poderão existir outros livros, estudos e pesquisas que apontem exatamente ao lado contrário. Tomara que sim, penso eu.

Sonho, utopia, teoria catastrófica, fanatismo religioso, falta de louça pra lavar.

Chamem do que quiser.

O fato é que, mesmo com a inesperada parada do Relógio do Apocalipse por Donald Trump, nos eventos da Coréia do Norte, Rússia e China, ainda existem forças negativas que trabalham e atuam para que o ponteiro dos minutos caminhe rapidamente para alcançar o zero absoluto.

Essas forças atendem por vários nomes: podemos chamá-los de globalistas, socialistas, comunistas, Clinton´s, Obama´s, sócios do Clube Bilderberg ou resumir num só maldito nome: George Soros.

Felizmente, acima de tudo e todos deste planetinha azul, existe uma injunção de vibrações positivas que trabalham arduamente para que isso não ocorra.

No livro de Emmanuel “A Caminho da Luz”, 1938, nas páginas finais da narrativa, no cap. XXIV, cujo título é O Espiritismo e as Grandes Transições, Emmanuel afirma que:

Espíritos abnegados e esclarecidos falavam de uma nova reunião da comunidade das potências angélicas do Sistema Solar, da qual é Jesus um dos membros divinos, e que a sociedade celeste se reuniria pela terceira vez na atmosfera terrestre, desde que o Cristo recebeu a sagrada missão de redimir a nossa humanidade, para, enfim, decidir novamente sobre os destinos do nosso mundo.

Naquela ocasião, o Governador Espiritual da Terra, que é Nosso Senhor Jesus Cristo, ouvindo o apelo de outros seres angelicais de nosso Sistema Solar, convocara uma reunião destinada a deliberar sobre o futuro de nosso planeta.

A bondade de Jesus decidiu conceder uma última chance à comunidade terráquea, uma última moratória para a atual civilização no planeta Terra. Todas as injunções cármicas previstas para acontecerem ao final do século XX foram então suspensas, pela Misericórdia dos Céus, para que o nosso mundo tivesse uma última chance de progresso moral.

 

A Batalha Final entre o Bem e o Mal?

Antes fosse uma ‘simples’ disputa entre Cristianismo x Islamismo. Um entrevero religioso.

Aqui temos forças poderosíssimas movidas na ânsia do Poder pelo Poder.

A um Rockfeller, um Soros, um Rothschild (entre outros), o poder emanado pelo dinheiro é algo ultrapassado. Alguém neste mundão acaba com sua vida, caro leitor, por menos de 50 reais, não duvide.

Destruir valores, crenças e costumes é a chave para essa conquista de mando.

Uma ‘escravidão global e planetária regida e comandada por poucos’ pode ser a síntese do que representaria esse Poder.

Continue com sua crença, seu Deus, seus Anjos, Orixás, ou seja lá o nome que você dê. Nunca desista nem os renegue.

Somente observe o que acontece ao seu redor, na sua cidade, seu país, no planeta.

Observe que Forças além do Homem estão começando a agir. Não importa se quem ateou o fogo foi um louco qualquer. Importa a destruição. O louco foi instrumento disso tudo.

Observe. E tenha um pouco mais de paciência para ler o que Chico Xavier deixou como mensagem.

O futuro da Terra está nas mãos do Homem.


O jornal Folha Espírita de maio de 2011 traz uma revelação feita em 1986, pelo médium Francisco Cândido Xavier sobre o futuro reservado ao planeta Terra e a todos os seus habitantes nos próximos anos. A revelação foi feita a Geraldo Lemos Neto, fundador da Casa de Chico Xavier, de Pedro Leopoldo (MG) e da Vinha de Luz Editora.

Este é um resumo dos pontos interessantes do texto. A íntegra pode ser lida no exemplar nº 439, ano XXXV, de maio de 2011 do jornal Folha Espírita.

“Nosso Senhor deliberou conceder uma moratória de 50 anos à sociedade terrena, a iniciar-se em 20 de julho de 1969, e, portanto, a findar-se em julho de 2019. Ordenou Jesus, então, que seus emissários celestes se empenhassem mais diretamente na manutenção da paz entre os povos e as nações terrestres, com a finalidade de colaborar para que nós ingressássemos mais rapidamente na comunidade planetária do Sistema Solar, como um mundo mais regenerado, ao final desse período.

Algumas potências angélicas de outros orbes de nosso Sistema Solar recearam a dilação do prazo extra, e foi então que Jesus, em sua sabedoria, resolveu estabelecer uma condição para os homens e as nações da vanguarda terrestre.

Segundo a imposição do Cristo, as nações mais desenvolvidas e responsáveis da Terra deveriam aprender a se suportarem umas às outras, respeitando as diferenças entre si, abstendo-se de se lançarem a uma guerra de extermínio nuclear.

A face da Terra deveria evitar a todo custo a chamada III Guerra Mundial.

Segundo a deliberação do Cristo, se e somente se as nações terrenas, durante este período de 50 anos, aprendessem a arte do bom convívio e da fraternidade, evitando uma guerra de destruição nuclear, o mundo terrestre estaria enfim admitido na comunidade planetária do Sistema Solar como um mundo em regeneração. Nenhum de nós pode prever, Geraldinho, os avanços que se darão a partir dessa data de julho de 2019, se apenas soubermos defender a paz entre nossas nações mais desenvolvidas e cultas!”

Foi então que, fazendo as vezes de advogado do diabo, perguntei a ele: Chico, até agora você tem me falado apenas da melhor hipótese, que é esta em que a humanidade terrestre permaneceria em paz até o fim daquele período de 50 anos. Mas, e se acontecer o caso das nações terrestres se lançarem a uma guerra nuclear? “Ah! Geraldinho, caso a humanidade encarnada decida seguir o infeliz caminho da III Guerra mundial, uma guerra nuclear de consequências imprevisíveis e desastrosas, aí então a própria mãe Terra, sob os auspícios da Vida Maior, reagirá com violência imprevista pelos nossos homens de ciência.

O homem começaria a III Guerra, mas quem iria terminá-la seriam as forças telúricas da natureza, da própria Terra cansada dos desmandos humanos, e seríamos defrontados então com terremotos gigantescos; maremotos e tsunamis; veríamos a explosão de vulcões há muito extintos; enfrentaríamos degelos arrasadores que avassalariam os polos do globo com trágicos resultados para as zonas costeiras, devido à elevação dos mares; e, neste caso, as cinzas vulcânicas associadas às irradiações nucleares nefastas acabariam por tornar totalmente inabitável todo o Hemisfério Norte de nosso globo terrestre.”

Neste ponto da conversa, Chico fez uma pausa na narrativa e completou: “Nosso Brasil como o conhecemos hoje será então desfigurado. Segundo Chico Xavier, o Brasil não terá privilégios e sofrerá também os efeitos de terremotos e tsunamis, notadamente nas zonas costeiras. Acontece que, de acordo com o médium, o impacto por aqui será bem menor se comparado com o que sobrevirá no Hemisfério Norte do planeta.

Outra decisão dos benfeitores espirituais da Vida Maior foi a que determinou que, após o alvorecer do ano 2000 da Era Cristã, os espíritos empedernidos no mal e na ignorância não mais receberiam a permissão para reencarnar na face da Terra. Reencarnar aqui, a partir dessa data, equivaleria a um valioso prêmio justo, destinado apenas aos espíritos mais fortes e preparados, que souberam amealhar, no transcurso de múltiplas reencarnações, conquistas espirituais relevantes como a mansidão, a brandura, o amor à paz e à concórdia fraternal entre povos e nações.

Todos os demais espíritos, recalcitrantes no mal, seriam então, a partir de 2000, encaminhados forçosamente à reencarnação em mundos mais atrasados, de expiações e de provas aspérrimas, ou mesmo em mundos primitivos, vivenciando ainda o estágio do homem das cavernas, para poderem purgar os seus desmandos e a sua insubmissão aos desígnios superiores. Chico Xavier tinha conhecimento desses mundos para onde os espíritos renitentes estariam sendo degredados. Segundo ele, o maior desses planetas se chamaria Kírom ou Quírom.

O próprio Emmanuel, através de Chico Xavier, respondendo a uma entrevista já publicada em livro nos diz que as profecias são reveladas aos homens para não serem cumpridas.

São, na realidade, um grande aviso espiritual para que nos melhoremos e afastemos de nós a hipótese do pior caminho.

O aviso foi dado. Eu, humildemente o repliquei. Agora é com você.

 

Texto do colaborador Walter Barreto no projeto Voluntários Renova

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da Renova Mídia.

Twitter
WhatsApp
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Deixe seu comentário

Veja também...