Os alvos da Operação Spoofing da Polícia Federal

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A Operação Spoofing da PF prendeu três homens e uma mulher nas cidades de Araraquara, São Paulo e Ribeirão Preto.

A Operação Spoofing da Polícia Federal (PF) foi lançada, nesta terça-feira (23), com o objetivo de “desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos”.

Os agentes da PF cumpriram quatro mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão em São Paulo, em Araraquara e Ribeirão Preto.

Até agora, o nome de dois dos alvos foram revelados pela imprensa.

Gustavo Henrique Elias Santos, 28 anos, morador de Araraquara, trabalhava como DJ e já respondeu a processo sob acusação de porte ilegal de arma. Além de Santos, um outro suspeito mora na cidade do Estado de São Paulo.

O advogado de Santos, Ariovaldo Moreira, disse que conhece o DJ há anos e nunca soube de envolvimento dele com atividades de hackers, informa o jornal Folha.

Moreira declarou:

“Obviamente preciso saber onde ele está, se está recolhido ou detido na cidade de São Paulo ou se foi levado à capital Brasília. Essa pessoa trabalha no ramo de entretenimento e não acredito que o trabalho dele possa ter levado à investigação. Não acredito que ele esteja envolvido nessa empreitada delituosa.”

Segundo o site O Antagonista, o nome de Walter Delgatti Neto, 30 anos, também está na lista mandados de prisão provisória cumpridos por agentes da Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (23). Ele ainda está foragido.

“Delgatti já se passou por delegado de polícia para aplicar golpes. Seu nome consta como filiado ao DEM de Araraquara”, acrescenta o site.

jornal local ACidadeON apurou que Delgatti e Santos são amigos e já foram detidos pela polícia juntos. Ainda segundo o periódico, Delgatti tem familiaridade com o ambiente digital.

As ordens de prisão foram expedidas pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília.

O delegado da PF à frente do caso é Luís Flávio Zampronha, que em 2005 e 2006 presidiu o inquérito policial que apurou o escândalo do mensalão, segundo a Folha de S. Paulo.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.