Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Os gastos do STF com passagens para mulheres de ministros

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Os gastos do STF com passagens para mulheres de ministros

Supremo gastou cerca de 630 mil reais com passagens para mulheres de ministros entre os anos de 2009 e 2012.

Entre 2009 e 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) emitiu pelo menos 48 passagens aéreas internacionais em nome de mulheres de ministros que integravam a corte naquele período.

As informações, que constam de relatório elaborado por auditores do Tribunal de Contas da União (TCU), foram publicadas com exclusividade nesta quinta-feira, 1º de agosto, pelo site O Antagonista.

Os bilhetes — para a primeira classe — foram comprados na empresa Eurexpress Travel Viagens e Turismo Ltda. e custaram R$ 629.919,23 ao Supremo.

A emissão dessas passagens ocorreu, inclusive, em períodos de festas de fim de ano, datas improváveis para a realização de eventos de caráter protocolar.

O processo sobre a farra das passagens no STF chegou ao TCU no ano de 2013. De acordo com as normas internas do Tribunal, a ação teria de ser apreciada em até 180 dias, mas, por razões desconhecidas, se arrastou por quase seis anos.

Em resposta aos primeiros pedidos de explicação feitos pelo TCU sobre bilhetes para cônjuges de ministros, o STF não indicou motivos que justificassem a realização daquelas viagens nem mesmo explicou por que as mulheres tiveram de acompanhar os magistrados.

Nesta quarta-feira (31), o TCU vedou a possibilidade de uso de cotas de passagens aéreas e pagamentos de diárias a ministros da Corte para viagens particulares.

O site Poder360 publicou a íntegra da decisão, que pede a revogação da Resolução do STF 545/2015, que tratava sobre a concessão de diárias e passagens no âmbito do STF.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email