Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

OTAN avalia reforçar defesa contra mísseis da Rússia

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
OTAN avalia reforçar defesa contra mísseis da Rússia

Qualquer modificação na missão declarada do atual sistema de defesa antimísseis da Otan provavelmente enfureceria a Rússia.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) avalia modernização de suas defesas, tornando-as capazes de abater mísseis nucleares de alcance intermediário recém-mobilizados pela Rússia.

O governo de Vladimir Putin há muito tempo considera o local de defesa antimísseis da OTAN na Romênia e um em construção na Polônia como ameaças ao seu arsenal nuclear e uma fonte de instabilidade na Europa.

Os Estados Unidos anunciaram em fevereiro a intenção de se retirar do Tratado de Forças Nucleares de Médio Alcance (INF), assinado em 1987 nos anos finais da Guerra Fria, citando os anos de violações de Moscou. A medida é apoiada pela OTAN.

Os embaixadores da OTAN farão uma última tentativa de pressionar a Rússia a retirar seus novos mísseis de cruzeiro e renovar o tratado na sexta-feira (12) em Bruxelas, informa o jornal Folha.

Na última quarta-feira (3), com a assinatura do presidente Putin, Moscou ratificou a saída de seu país do tratado nuclear INF.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email