Padre é repreendido após chamar Bolsonaro de ‘bandido’ em missa

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“O púlpito é da Igreja, não do padre”, diz o sacerdote Zezinho.

O padre Edson Adélio Tagliaferro, de igreja localizada na cidade de Artur Nogueira, no interior de São Paulo, atacou duramente o presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a transmissão de uma missa pela internet.

“Quem votou nele deveria se confessar, pedir perdão a Deus pelo pecado que cometer, porque elegeu bandido para a Presidência”, disparou Tagliaferro. O vídeo viralizou nas redes sociais.

O conhecido Padre Zezinho, 79 anos, é considerado o precursor do fenômeno dos padres comunicadores no Brasil.

Sem citar nomes, o sacerdote repreendeu a atitude do colega:

“Padre deve trabalhar para a unidade, mesmo que seu coração seja de direita ou de esquerda ou de centro. A prudência no altar e no púlpito exige dele que anuncie ou denuncie, sem causar rupturas e ódio entre fiéis.”

E acrescentou:

“O púlpito é da Igreja, não do padre. Se tem pretensões políticas, peça licença e siga seu coração direitista ou esquerdista ou centrista. Mas não use o púlpito para dividir o povo católico.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.