Palestino ataca Bolsonaro por sugerir retirada de embaixada em Brasília

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou dias atrás que, se eleito, pretende retirar a Embaixada da Palestina do Brasil, uma vez que não considera a Palestina um país.

Segundo o deputado federal, que já defendeu inúmeras vezes a aproximação do Brasil com Israel, a instalação do prédio na capital federal, em 2016, seria resultado de uma negociação da ex-presidenta Dilma Rousseff com terroristas, numa espécie de “puxadinho”.

Indignado com as declarações do deputado em relação à Palestina, o presidente do Centro Cultural Árabe-Brasileiro, o empresário Ahmed Ramadan, declarou sobre Bolsonaro:

Ele, realmente, esse candidato, ele não tem cultura, ele precisa estudar. Precisa ter alguns assessores bem esclarecidos, que conheçam as causas, as relações. Está muito fraco, como presidente, nesse lado.

O palestino disse que as declarações de Bolsonaro refletem claramente a influência israelense sobre sua candidatura, uma evidente troca de interesses.

Para ele, Bolsonaro, ao se envolver em polêmicas como essa, demonstra não entender a profundidade dos laços brasileiros não apenas com os palestinos, mas também com toda a comunidade árabe e muçulmana em geral.

 

Com informações da Sputnik Brasil
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia