Papa teme fim da presença cristã no Oriente Médio

O papa Francisco expressou neste sábado (7) seus temores quanto a uma “extinção” da presença de cristãos no Oriente Médio, pouco antes de uma oração com quase todos os patriarcas das igrejas presentes nessa parte do mundo.

Em frente ao mar da cidade italiana de Bari, o pontífice lamentou:

Sobre esta esplêndida região tem se concentrando, especialmente nos últimos anos, uma densa nuvem de trevas: guerras, violência e destruição, ocupações e várias formas de fundamentalismo, migrações forçadas e abandono, e tudo isso em meio ao silêncio de tantos e à cumplicidade de muitos. O Oriente Médio se tornou uma terra de pessoas que deixam suas próprias terras.

O papa Francisco acrescentou:

E existe o risco de que se extinga a presença de nossos irmãos e irmãs na fé, desfigurando o rosto da região, porque um Oriente Médio sem cristão não seria Oriente Médio. A indiferença mata, e nós queremos ser uma voz que combate o homicídio da indiferença. Queremos dar voz a quem não tem voz, a quem se afoga em lágrimas, porque o Oriente Médio hoje chora, sofre e cala, enquanto outros o pisoteiam em busca de poder e riquezas.

Francisco destacou ainda a importância de uma região onde “se conservam ritos antigos únicos e inestimáveis riquezas de arte sacra e da teologia. Esta tradição é um tesouro que devemos cuidar com todas as nossas forças, porque no Oriente Médio estão as raízes de nossas almas”, clamou.

O papa, líder de 1,3 bilhão de católicos no mundo, conseguiu reunir em Bari quase todos os líderes de diferentes confissões cristãs no Oriente Médio.

 

Com informações da AFP
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia