Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Parlamentares criticam participação de Bolsonaro em protestos

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Bolsonaro diz que atrito com Maia é 'página virada'
Imagem: Reprodução/Twitter
COMPARTILHE

Bolsonaro foi alvo de ataques de parlamentares após participar de manifestação em Brasília.

Membros do Congresso Nacional reagiram a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, aos protestos populares realizados, neste domingo (19), em Brasília.

Os principais alvos das manifestações foram o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre, e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Alguns manifestantes carregavam cartazes pedindo a intervenção militar, fato que ganhou destaque nas reportagens dos veículos de imprensa do Brasil.

Vários políticos aproveitaram a oportunidade para fazer ataques ao presidente Bolsonaro, classificando a participação dele em um dos atos como um “incentivo à desobediência” e uma “escalada antidemocrática”.

O deputado Rodrigo Maia disse que o País precisa lutar contra o “vírus do autoritarismo”:

“O mundo inteiro está unido contra o coronavírus. No Brasil, temos de lutar contra o corona e o vírus do autoritarismo. É mais trabalhoso, mas venceremos. Em nome da Câmara dos Deputados, repudio todo e qualquer ato que defenda a ditadura, atentando contra a Constituição.”

O senador Álvaro Dias (PR) afirmou que Bolsonaro credita ao Congresso os problemas do seu governo:

“Fica difícil aceitar essa transferência de responsabilidade para o Congresso do fracasso do governo federal. O presidente age como se estivesse em um parque de diversões.”

O senador Weverton Rocha (MA) disse que Bolsonaro se mantém em um palanque e que “cruzou a linha da irresponsabilidade”:

“Se mantém em palanque e incita um movimento, que pode ter como consequência a morte de inúmeros brasileiros. Já faz tempo que cruzou a linha da irresponsabilidade e se tornou crime contra a saúde pública.”

Já o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou que o mesmo Bolsonaro que chama o Centrão para negociar é o mesmo que crítica a “velha política”. 

 “Não se governa da caçamba de uma pick-up. E não se lidera mentindo para as pessoas”, disse Alessandro, segundo a revista Oeste.

- PUBLICIDADE -
Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM
Error: Embedded data could not be displayed.