Português   English   Español
Português   English   Español

Parlamento da Hungria aprova legislação “Stop-Soros”

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

O Parlamento da Hungria adotou nesta quarta-feira (20) uma série de leis apelidadas de “Stop-Soros”, criminalizando ONGs que contribuem com o avanço da imigração ilegal.

A legislação é uma iniciativa antiga do primeiro-ministro conservador, Viktor Orban, que foi reeleito de forma confortável para um terceiro mandato consecutivo em abril.

A nova lei, que tem como alvo “os organizadores da imigração ilegal”, foi aprovada por 160 votos a favor e 18 contra.

De acordo com informações da Gaúcha ZH:

Esta nova reforma jurídica institui, em especial, uma pena máxima de um ano de prisão para quem ajudar uma pessoa que tenha entrado ilegalmente na Hungria a partir de um país que não pertença ao espaço Schengen, se a vida da pessoa em causa não estiver imediatamente em perigo.

A Assembleia legislativa foi precedida por uma emenda à Constituição estipulando que nenhuma autoridade pode prejudicar a “composição da população húngara”, uma disposição destinada a tornar inconstitucional a imposição de quotas de migrantes da pela União Europeia.

O premiê da Hungria é o crítico mais forte do magnata George Soros.

Viktor Orban denuncia o plano do globalista de inundar a Europa com imigrantes ilegais através do seu exército de ONGs há muitos anos.

Renova Mídia vem cobrindo este duelo desde a nossa fundação. Abaixo você pode encontrar algumas matérias interessantes sobre o tema.

Compartilhe...

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Veja também_

TELEGRAM

Acompanhe todas as notícias através do nosso canal no Telegram.

Comentários_

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.