Português   English   Español

Parlamento da União Europeia exige que Polônia condene “marcha xenofóbica e fascista” ou encare as consequências

poe

Políticos europeus continuam atacando a soberania das nações que se levantam contra a agenda globalista.

O Parlamento da União Europeia adotou resolução exigindo que a Polônia defenda os valores europeus comuns e advertindo que, se as autoridades polacas se recusarem a cumprir, o direito de voto do país no Conselho da UE poderá ser suspenso.

Globalistas europeus acreditam que a situação na Polônia representa um “claro risco de grave violação” dos valores europeus, incluindo o Estado de Direito, consagrado no Tratado da União Europeia.

A resolução exige que a Polônia tome as seguintes providências:

a) Garantir plenamente a independência do judiciário para implementar todas as recomendações da Comissão da União Europeia e da Comissão de Veneza na íntegra.

b) Suspender imediatamente a exploração de madeira em larga escala na antiga floresta Białowieża.

c) Condenar fortemente a “marcha xenófoba e fascista que teve lugar em Varsóvia” no sábado, 11 de novembro de 2017.

d) Assumir uma posição firme sobre os direitos das mulheres, fornecendo anticoncepcionais gratuitos e acessíveis sem discriminação, disponibilizando anticoncepção de emergência sem prescrição médica.

Nos últimos meses, o conflito entre União Europeia e Polônia tem ficado cada mais intenso, principalmente após o governo conservador polonês ter rejeitado aceitar a cota de imigrantes ilegais impostas pelo grupo.

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...