- PUBLICIDADE -

Parler acusa Amazon, Facebook e Twitter de perseguição

Google suspende Parler da PlayStore
- PUBLICIDADE -

Rede social disse que as “gigantes tecnológicas conspiraram” para derrubá-la.

No início de fevereiro, o Comitê de Supervisão e Reforma da Câmara dos Estados Unidos pediu que a plataforma de mídia social Parler apresentasse informações sobre suas finanças e possíveis vínculos com entidades estrangeiras. 

O pedido veio na sequência do ataque de 6 de janeiro ao Capitólio, que supostamente envolveu vários usuários de Parler.

Em uma carta datada de 25 de março, Parler se apresentou como uma pequena startup que está sendo impiedosamente atacada pelo Twitter e Facebook.

A empresa alega que está sendo usada como bode expiatório e pede que o Congresso investigue esta situação:

“Juntas, as gigantes tecnológicas conspiraram com a Amazon para destruir Parler e usaram os horríveis ataques ao Capitólio em 6 de janeiro de 2021 como uma desculpa vergonhosa.”

Como prova, a carta citava o fato de que a Amazon Web Services assinou um contrato de hospedagem com o Twitter algumas semanas antes de encerrar os serviços da Parler. 

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -