Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Parler: rede social é alternativa ao Twitter

Parler: rede social é alternativa ao Twitter
COMPARTILHE

“Liberdade de expressão sem violência e a ausência de censura”, diz o texto institucional do Parler.

A rede social Parler foi criada, em 2018, por John Matze e Jared Thomson, com objetivo de oferecer um espaço para as pessoas compartilharem suas opiniões e conteúdos sem risco de censura.

A página inicial do Parler diz que a rede é “imparcial” e com conteúdo moderado com base na Comissão Federal de Comunicações dos EUA e na Suprema Corte daquele país. 

“Liberdade de expressão sem violência e a ausência de censura”, diz o texto institucional da rede social. 

Apesar de ter sido criado há dois anos, o Parler começou a se destacar mundialmente desde que políticos alinhados à direita dos Estados Unidos começaram a criar contas na plataforma.

A campanha de reeleição do presidente Donald Trump, por exemplo, está utilizando o Parler com frequência para impulsionar anúncios eleitorais.

Por aqui no Brasil, a família do presidente Jair Bolsonaro e muitos dos seus seguidores inundaram o Parler nos últimos dias.

O chefe do Executivo, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) já estão cadastrados. 

“Siga-me no Parler! A rede social que tem como prioridade a liberdade de expressão!”, publicou Flávio em sua conta do Twitter na última quarta-feira (1º).

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE