Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Parte do Movimento Brasil Livre quer Lula Livre

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Parte do Movimento Brasil Livre quer Lula Livre
COMPARTILHE

Holiday revelou que parte do MBL hoje tem dúvidas a respeito da parcialidade de Moro no caso envolvendo a condenação de Lula.

A tentativa do Movimento Brasil Livre (MBL) de se consolidar como parte do Centrão ganhou um novo capítulo nesta sexta-feira, 13 de setembro.

Segundo o blog petista Brasil de Fato, que entrevistou Fernando Holiday (DEM-SP), o vereador teria afirmado que entre outras revisões, o MBL começa a questionar se o ex-presidente Lula da Silva teve direito a julgamento justo.

Durante a conversa, Holiday teria revelado que parte do movimento hoje tem dúvidas a respeito da parcialidade do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na condenação de Lula. Ele, no entanto, ressaltou que esta não é a sua posição.

Confira abaixo o trecho da entrevista em que Holiday admite que parte do MBL começou a questionar a validade da prisão de Lula.

[Brasil de Fato] Você acha que o julgamento do Lula foi justo?

[Fernando Holiday] – Pelos autos, eu acredito que sim. Por meio das mensagens divulgadas até agora, eu acredito que pode se colocar em dúvida o julgamento dele, apesar que pessoalmente, eu não acho que haja indícios de que o Moro agiu parcialmente. Mas, mais do que isso, eu não acho que as mensagens sejam originais, elas podem sim ter sido alteradas e portanto ter um direcionamento para tentar parecer que o Moro foi parcial.

[Brasil de Fato] Mas diversas pessoas que foram envolvidas nos diálogos, por exemplo a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), reconheceram a integridade das mensagens. Mesmo assim, você duvida do comprometimento de Moro com o Ministério Público?

[Fernando Holiday] – Partindo do pressuposto de que as mensagens são verdadeiras, eu vi que o Ministério Público tinha um acesso fácil ao juiz. Porém, esse acesso fácil não pressupõe que ele agiu com parcialidade nos autos. Não me indica que esse acesso fácil não fosse possível para a defesa. Até agora eu não encontrei. Existem pessoas no MBL que discordam do que eu estou falando, é uma divisão interna, mas não encontrei nenhum tipo de indicação de que nos autos ele agiu com intenção de prender o Lula e dane-se o mundo.

Após a publicação desta matéria, integrantes do MBL teceram duras críticas à RENOVA e denunciaram que a entrevista concedida por Holiday ao blog petista foi manipulada.

“Essa notícia é falsa! A esquerda distorceu e retirou de contexto uma entrevista minha”, disse o vereador Holiday.

O advogado do MBL, Rubinho Nunes, prometeu processar “toda mídia que divulgar tamanho absurdo”.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram