Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

PCC usou ‘laranjas profissionais’ para movimentar bilhões do crime

Tarciso Morais

Tarciso Morais

PCC usou ‘laranjas profissionais’ para movimentar bilhões do crime
COMPARTILHE

Desta vez, os investigadores da PF miraram no coração e na fonte de poder do crime: o dinheiro.

Um esquema de lavagem de dinheiro do Primeiro Comando da Capital (PCC) foi alvo de um operação da Polícia Federal (PF) nesta quarta-feira (30).

Os agentes da PF desmantelaram um braço financeiro da facção criminosa, que é uma das maiores da América Latina.

De acordo com os investigadores, os criminosos utilizavam uma sofisticada técnica com “laranjas profissionais” para lavar ao menos R$ 30 bilhões.

Ao todo, segundo o site Metrópoles, 13 suspeitos foram presos.

Em coletiva de imprensa, o delegado Rodrigo Costa, coordenador da operação “Rei do Crime“, detalhou a atuação da quadrilha:

“A lavagem de dinheiro tinha um certo nível de sofisticação. No começo, eles usavam familiares como laranja. Depois, passaram a usar laranjas profissionais. Agora, também contam com holding de empresas. Essas holdings tinham muitas ‘camadas de proteção’ visando distanciar o efetivo proprietário do bem. Sem o avanço das investigações nas camadas de proteção, não teríamos chegado aos autores.”

O delegado acrescentou que os investigados não tinham capacidade financeira para movimentar bilhões de reais:

“O dinheiro tem um caminho. Na investigação, constatamos que os valores sempre passavam por membros da facção. Foi um grande mapeamento de transações financeiras. As empresas, sobretudo os postos de combustíveis, tinham estrutura sólida no mercado. Não faziam uma lavagem de dinheiro pontual. Já fazia parte da estrutura organizada.”

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram