Pelo menos 24 mortos nos confrontos em Gaza eram terroristas

Os grupos terroristas Hamas e Jihad Islâmica reconheceram nesta terça-feira (15) que vários de seus membros estão entre as dezenas de mortos pelo exército de Israel no dia da transferência da embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém.

Segundo as autoridades de Israel, pelo menos 24 dos mortos estavam conectados diretamente com atividades terroristas.

Hamas admitiu que dez dos mortos eram membros do Ministério do Interior, responsável pela segurança da Faixa de Gaza. O grupo Jihad Islâmica admitiu que três dos mortos pertenciam a sua ala militar.

Terroristas neutralizados por Israel do grupo Jihad Islâmica

De acordo com informações do Gospel Prime:

As Forças de Defesa de Israel divulgaram os nomes de todos eles, mostrando com seu histórico que não havia nada de pacífico nas manifestações.

Eles identificaram que oito estavam armados e tentavam romper a cerca no norte da Faixa de Gaza. Alguns dos homens portavam fuzis e tentavam alvejar as tropas de Israel enquanto parte do grupo tentava colocar uma bomba na cerca.

O Ministério da Saúde da Faixa de Gaza disse que 60 pessoas foram mortas nas manifestações de segunda-feira, a maioria por tiros, e mais de 2.700 ficaram feridas. O caso que mais chamou atenção foi o de um bebê, que teria morrido por causa gás lacrimogêneo.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *