Pesquisadores dizem ter criado um ‘cristal do tempo’

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Estes cristais parecem quebrar a segunda lei da termodinâmica.

Propostos de forma teórica, em 2012, pelo físico Frank Wilczek, ganhador do Prêmio Nobel de Física, “cristais do tempo” são objetos que parecem avançar e recuar no tempo.

Agora, um grupo de pesquisadores afirma ter demonstrado pela primeira vez a existência deles. 

A descoberta só foi possível graças ao computador quântico do Google e cientistas de nove universidades dos Estados Unidos e da Alemanha

O feito foi anunciado no fim de julho e o paper (confira a íntegra), revisado na última quarta-feira (11), aguarda revisão por pares.

Um dos cinco computadores quânticos do Google em um laboratório na Califórnia | Foto: Stephen Shankland/CNET

A impressão de avanço e recuo no tempo decorre do fato de esse cristal oscilar regularmente entre um estado mais caótico e outro mais ordenado. 

O comportamento “normal” de qualquer sistema é avançar sempre para o estado mais caótico — a mesma lei faz com que um ser vivo envelheça e um castelo de cartas tenda a colapsar.

Estes “cristais do tempo” parecem desrespeitar essa expectativa e quebrar a segunda lei da termodinâmica.

É exatamente nesse campo completamente novo e excitante que estamos trabalhando agora“, afirmou a física Vedika Khemani, pesquisadora na Universidade de Stanford, em entrevista à Quanta Magazine.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.