Desesperados, petistas partem para o ataque contra Carmén Lúcia

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Capa: Ueslei Marcelino/Reuters

Partido dos Trabalhadores (PT) acusa a ministra do STF, Cármen Lúcia, de comprar mansão de doleiro da Lava-Jato.

Após Carmén Lúcia dizer que “não se submete à pressão”, o perfil do PT no Rio de Janeiro postou publicação acusando a ministra do STF de ter adquirido imóvel de Fayed Traboulsi.

De acordo com informações da VEJA:

O perfil do PT do Rio postou no Facebook nesta quarta (14) que a ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia comprou uma mansão de R$ 1,7 milhão do doleiro Fayed Traboulsi, investigado por lavagem de dinheiro. O imóvel fica em Brasília e foi adquirido em 2015.

“Vamos falar sobre……..residências, triplex, mansões e doleiros….hoje é a vez da Ministra Carmen Lúcia”, escreveu o partido (ver abaixo).

Fayed apareceu em escutas que embasaram a prisão de Carlos Habib Chater, dono do Posto da Torre, que batizou a operação Lava-Jato. Ele também estaria ligado a casas de jogo ilegal no Distrito Federal.

Segue o print da postagem e, logo abaixo, a íntegra do texto publicado no perfil petista.

Íntegra do texto:

Vamos falar sobre……..residências, triplex, mansões e doleiros….hoje é a vez da Ministra Carmen Lúcia.

2015: Denúncia aponta que mansão em Brasília comprada pela ministra do STF por R$ 1,7 milhão está ligada ao doleiro Fayed Traboulsi, envolvido no esquema investigado pela Operação Lava Jato; gabinete da magistrada afirma que notícia “não tem pé nem cabeça” e que negócio foi legitimado pela Caixa Econômica, que financiou o imóvel

A compra de um imóvel em Brasília pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, se tornou alvo de denúncia. De acordo com o blog do jornalista Mino Pedrosa, o imóvel está ligado ao doleiro Fayed Traboulsi, envolvido no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

A casa estava no nome de Andréa Filipe Ramos, casada com Alexandre Chaves Ribeiro. Os dois, de acordo com a denúncia, são laranjas de Fayed e o imóvel “deveria constar no rol de apreensões e bloqueios de bens do doleiro”. O valor, segundo o texto, também é suspeito, uma vez que a casa seria avaliada por pouco mais de R$ 3 milhões no mercado imobiliário.

O próprio doleiro, segundo o blog, admitiu em depoimento à PF ser proprietário do imóvel, que era usado como “endereço de várias pessoas”. Fayed foi preso em setembro de 2013 e alvo de mandados de busca e apreensão em suas propriedades da capital federal no âmbito da Operação Miqueias, que investigava fundos de previdência e pensão.

A chefe de gabinete da ministra Cármen Lúcia, Maria Cristina Petcov, contesta todas as acusações, que “não têm pé nem cabeça”, e assegura que a ministra tem todos os documentos da negociação, legitimada pela Caixa Econômica Federal, responsável pelo financiamento do imóvel.

Ainda segundo informações do gabinete, a casa já havia sido financiada anteriormente pela antiga proprietária, no mesmo valor, o que reforça a legitimidade do banco pelo negócio e desmente a tese de que a casa vale quase o dobro do preço que foi pago pela ministra.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.