PF desarticula grupo criminoso suspeito de invadir site do TSE

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Com o termo Script Kiddie, a PF faz referência a hackers menos experientes e habilidosos.

A Polícia Federal foi às ruas, na manhã desta terça-feira (24), para cumprir um mandado de prisão preventiva e dois de prisão temporária na operação “Script Kiddie”. 

Os alvos são suspeitos de participação em um ataque hacker contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além disso, são cumpridos também cinco mandados de busca e apreensão. 

As diligências foram deflagradas nas cidades de São Paulo e Araçatuba. Todas as medidas foram autorizadas pela 10ª Vara Federal de Brasília, a pedido da PF.

Os envolvidos podem responder pelos crimes de invasão de dispositivo eletrônico e associação criminosa. 

De acordo com a PF, foram apreendidos na casa de um dos investigados presos R$ 22 mil em espécie, além de uma arma de fogo ilegal e uma mídia eletrônica de interesse da investigação.

A operação é fruto de um inquérito instaurado a pedido do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, após o portal do tribunal ter sido invadido, e a página inicial ter sido alterada, em 1º de junho. 

“Não foram identificados quaisquer elementos que possam ter prejudicado a segurança do sistema eleitoral”, afirmou a PF em nota.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.