Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

PF investiga empresas que prestaram serviço ao TSE

Tarciso Morais

Tarciso Morais

PF investiga empresas que prestaram serviço ao TSE
COMPARTILHE

As companhias sob o crivo da PF são suspeitas de fraude, ocultação de patrimônio e desvio de bens.

Uma investigação da Polícia Federal (PF) mira empresas que prestaram serviço ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entre 2004 a 2018.

As companhias, que trabalharam com a transmissão de dados e manutenção de urnas eletrônicas, são suspeitas de fraude, ocultação de patrimônio e desvio de bens.

As empresas são acusadas de esconder os ativos do grupo Probank, que prestou serviços em ao menos quatro eleições, para evitar o pagamento de dívidas e substituir o grupo em contratos com tribunais eleitorais, informa o portal Terra.

A Probank teve a falência decretada em 2010, deixando um calote de mais de R$ 500 milhões para trabalhadores, credores e à Receita Federal

A PF investiga indícios de que equipamentos, funcionários e conhecimento tecnológico tenham sido repassados entre várias companhias, fundadas a partir de 2010 por diretores do grupo e novos sócios.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram