PF rebate Bolsonaro e diz que investigação de atentado é isenta

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O superintendente da Polícia Federal em Minas Gerais, delegado Rodrigo Teixeira, rebateu nesta quara-feira (27) críticas do presidenciável Jair Bolsonaro sobre a condução das investigações do atentado.

O delegado negou que o responsável pela investigação seja ligado ao PT e disse que a Polícia Federal não “privilegia ninguém”.

Em entrevista à rádio Jovem Pan na segunda-feira (24), Jair Bolsonaro afirmou ter sido vítima de atentado político e sugeriu que a PF agia para “abafar” o caso.

O superintendente da PF, Rodrigo Teixeira, afirmou:

O inquérito vem sendo conduzido de forma isenta, como sempre é feito pela Polícia Federal. Neste caso, foi aberto à família da vítima e à própria vítima para que pudesse acompanhar o procedimento. O doutor Rodrigo está se empenhando ao máximo.

O superintendente também confirmou que o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Morais, trabalhou no governo de Fernando Pimentel (PT) em Minas Gerais, mas negou que o colega tenha relações com o partido.

A declaração foi uma resposta a uma afirmação do filho do presidenciável, Flávio Bolsonaro, que em entrevista disse que a PF havia colocado “um delegado que foi assessor do PT para encabeçar o inquérito”.

Bolsonaro foi esfaqueado no abdome quando fazia campanha na região da Praça Halfeld, no Centro de Juiz de Fora. Ele se recupera no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O esfaqueador, Adelio Bispo de Oliveira, está preso em penitenciária federal no Mato Grosso do Sul.

 

Adaptado da fonte Estadão

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.