- PUBLICIDADE -

PGR apresentou queixa-crime contra colunista Folha

STF tem sido alvo de campanha difamatória diz Aras
Imagem: Isac Nóbrega/PR
- PUBLICIDADE -

“Observa-se o nítido propósito de caluniar, injuriar e difamar”, diz Aras.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, apresentou, nesta quinta-feira (20), uma queixa-crime à Justiça contra um colunista do jornal Folha de S.Paulo.

Aras pede que o professor da Universidade de São Paulo (USP), Conrado Hübner Mendes, seja condenado pelos crimes de calúnia, injúria e difamação.

Na petição, o chefe da PGR cita publicações de Mendes nas redes sociais e uma coluna intitulada “Aras é a antessala de Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional”.

Em postagens nas redes sociais, Conrado chama Aras de “Poste Geral da República” e “servo do presidente”. 

O processo de Aras contra o professor tramita na 12ª Vara Federal Criminal da Justiça Federal de Brasília.

Observa-se o nítido propósito de caluniar, injuriar e difamar o querelante imputando-lhe atos e posturas inverídicos e ultrajantes, de sorte a menoscabar sua honra e imagem e atingir a própria noção de independência do cargo de Procurador-Geral da República”, diz Aras em sua petição.

No último fim de semana, Aras já havia entrado com representação contra Mendes no Conselho de Ética da instituição de ensino em que o professor dá aula.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -