Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

PGR investiga suposta campanha de desinformação contra TSE

COMPARTILHE

O despacho foi enviado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes.

Uma investigação sobre supostos ataques à Justiça Eleitoral no dia das eleições municipais, que corre no Ministério Público Federal (MPF), foi transferida para a Procuradoria-Geral da República (PGR).  

A mudança foi feita porque os supostos crimes não estariam restritos ao campo eleitoral e porque parlamentares alinhados ao presidente da República, Jair Bolsonaro, foram listados como propagadores da campanha de desinformação detectada. 

O despacho foi enviado pelo vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, na última sexta-feira (20), ao procurador-geral da República, Augusto Aras.  

A decisão de Góes foi tomada ao analisar documentação apresentada pela SaferNet Brasil, entidade que tem colaboração formal com o MPF para monitoramento da desinformação nas eleições. 

A informações sobre a entrada da PGR na investigação gerou críticas de deputados nas redes sociais. 

Em mensagem no Twitter, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) declarou: 

“Ser investigado por contestar o processo eleitoral e ser acusado pela imprensa de ligação a ataque hacker ao TSE sem nenhuma prova confirma: vivemos uma democracia de mentira. 

Se isso ocorre com um deputado, que tem imunidade parlamentar, o que dizer do povo sem imunidade?” 

Já a deputada Bia Kicis (PSL-DF) acrescentou: 

“Campanha de desinformação? Exercer meu mandato p/ propor voto impresso a fim de dar segurança ao sistema e permitir auditagem é desinformação? Querem nos calar e rasgar os votos de meus eleitores?” 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
4 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Selminha
Selminha
1 mês atrás

É brincadeira 😂, não podemos contestar o “iluminado ministro”, temos que acreditar q nessa malfadada eleição, correu tudo bem, situações atípicas q sugerem fraudes e devemos nos CALAR 🤐 fingir que não vimos nada🙈 sinceramente, as falas do meu ministro favorito Abraham Weintraub é minha fala.. tinha que começar exatamente por lá.

K.F.S.A
K.F.S.A
1 mês atrás

Temos um bando de lixo comunista na Midiamainstream,Congresso, MPF,STF,STJ,TSE e precisamos expurgar eles da vida pública nos organizando de forma correta.Não quebrando,matando,roubando,mentindo como eles sempre fizeram ao longo da história.Eles querem vencer as eleições roubando pelo sistema dessa urnas que todo o povo sabe que sempre teve fraudes.Terão de matar mais de 100 milhões de brasileiros que sabem que existe fraude e picaretagem.

Maria
Maria
1 mês atrás

A quem essa gente pensa que engana? NINGUÉM acrediita nessas urnas. E a obsessão desse povo em manter o sistema obscuro corrobora ainda mais com as suspeitas acerca das supostas fraudes.

Cavalo Branco
Cavalo Branco
1 mês atrás

É proibido duvidar da idoneidade do TSE.

PUBLICIDADE