PGR avalia recurso contra retirada das delações das mãos de Moro

Decisão da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) retirou do juiz federal Sergio Moro implicações feitas por delatores que envolviam Instituto Lula, o sítio de Atibaia e a refinaria de Abreu e Lima.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, estuda recurso contra a decisão da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal que tirou do juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná, citações de delatores da Odebrecht que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos casos do Instituto Lula e do sítio de Atibaia (SP).

De acordo com informações do site JOTA:

Os procuradores ainda discutem a reação do MP e vão aguardar a publicação da decisão pelo STF para bater o martelo. Uma das possibilidades é um recurso à própria 2ª Turma, com a apresentação dos chamados embargos de declaração, pedindo esclarecimentos da decisão tomada pelo colegiado, que contrariou entendimento adotado pelos mesmos ministros quando julgaram o caso em outubro do ano passado. Para o caso chegar ao plenário do STF, caberia ao relator submeter a questão.

Por decisão da maioria da turma, as implicações serão enviadas à Justiça Federal de São Paulo. Os trechos das colaborações tratam de suspeitas na construção do Instituto Lula e em reforma de sítio em Atibaia (SP) que servem para embasar ações penais contra o petista em andamento na Justiça Federal do Paraná. Com a decisão, Moro não poderá utilizar as informações dadas pelos ex-executivos nos processos em andamento na Justiça de Curitiba. As citações serão analisadas pela Justiça Federal de SP.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia