Plano econômico de Maduro agrava escassez na Venezuela

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Duas semanas depois de Nicolás Maduro anunciar uma série de medidas para tentar controlar a hiperinflação, Venezuela ainda enfrenta os mesmos problemas: preços elevados e falta de produtos básicos.

Mais do que o aumento dos preços e o esvaziamento das prateleiras, muitos cidadãos da Venezuela se queixam de que o comércio não reabriu as portas depois do caos inicial provocado pelo plano econômico de Nicolás Maduro, que desvalorizou o bolívar em 95% e cortou cinco zeros da moeda ao criar o Bolívar Soberano.

As constantes queixas de consumidores sobre prateleiras vazias e preços exorbitantes após a mudança da moeda fizeram o governo chavista instaurar um plano de inspeções das empresas em várias cidades.

A força-tarefa de fiscalização inclui funcionários da Superintendência Nacional de Defesa dos Direitos Sociais e Econômicos, e da Guarda Nacional Bolivariana. Os fiscais prenderam na semana passada ao menos 92 pessoas acusadas de manipular preços controlados de alimentos.

Enquanto os consumidores reclamam da manipulação dos preços e do fechamento de lojas e mercados, os comerciantes dizem que não estão vendendo seus produtos porque muitos fornecedores ainda esperam a segunda quinzena de setembro, quando vão entrar em vigor novas medidas do pacote econômico, como o aumento do salário mínimo e o novo Imposto sobre Valor Agregado (IVA).

 

Adaptado da fonte Estadão

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.