Português   English   Español

Polícia continua investigando caso da jovem marcada na barriga

Polícia continua investigando caso da jovem marcada na barriga

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul continua investigando a agressão contra uma jovem de 19 anos que teve um símbolo semelhante a uma suástica marcado com canivete em sua barriga.

A estudante, que carregava uma mochila com um adesivo da bandeira LGBT e os dizeres “ele não”, alega ter sido atacada por três homens na última segunda-feira (8), em Porto Alegre.

Ela registrou boletim de ocorrência, prestou depoimento e se submeteu a um exame de corpo de delito, cujo resultado deve sair em até 30 dias. Mas decidiu não representar criminalmente contra os agressores neste momento.

O delegado Paulo César Jardim, que apura o caso, diz que a investigação prossegue, mesmo sem a representação, porque a polícia investiga “outros crimes” -ele não quis detalhar quais.

Jardim afirma que o símbolo desenhado na barriga da jovem não é uma suástica nazista, mas sim uma suástica budista, em função da posição dos traços, que foram desenhados de forma invertida.

“Não existe suástica ali. Aquele é um símbolo milenar, não só budista, mas de uma série de outras religiões”, declarou o delegado.

Questionado sobre por que agressores desenhariam um símbolo budista, o delegado afirmou: “É isso que nós vamos investigar”.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...