Polícia Federal prende amigos de Michel Temer

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Operação foi determinada por Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira (29), quatro pessoas investigadas no inquérito que apura irregularidades no decreto do presidente Michel Temer sobre o setor portuário.

Entre os detidos, está o advogado José Yunes, amigo e ex-assessor de Temer. As prisões foram determinadas pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da investigação. Os pedidos de prisão foram feitos pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Foram presos nesta quinta-feira:

José Yunes, ex-assessor da Presidência

Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura

Antonio Celso Grecco, dono do grupo Rodrimar

João Baptista Lima Filho, coronel da reserva da PM e amigo de Michel Temer

As prisões são temporárias, ou seja, com prazo de cinco dias. Por volta das 8h, Yunes seguia para a sede da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, no bairro da Lapa. Wagner Rossi foi detido em Ribeirão Preto, e Antonio Celso Grecco, em Monte Alegre do Sul, no interior de São Paulo. O empresário está a caminho da capital paulista, onde ficará detido na carceragem da PF.

A Polícia Federal também cumpriu mandados de busca e apreensão nos endereços de todos os alvos da operação.

 

Com informações de: [OGlobo]

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.